sábado, 17 de outubro de 2009

Bonito e Pantanal - 2009

BONITO

O nosso roteiro começou com a famosa cidade de Bonito, no estado de Mato Grosso do Sul, um paraíso natural que possui cerca de 15000 habitantes apenas, mas uma infraestutura totalmente preparada para receber bem o turista.

Aquário Natural

Além de muita disposição, para conhecer a região são indispensáveis roupa de banho, boné ou chapéu de palha, mochila, tênis, papete, camisetas, shorts, moletom, capa de chuva, protetor solar, repelente, máquina fotográfica, câmera filmadora, agasalho no inverno, meia alta esporte (para o abismo anhumas), toca de natação se quiser usar na flutuação.

Rio da prata

Para chegar : Fomos de carro, de Itajaí a Bonito a distância é de aproximadamente 1400km. Nossa rota passou pelo PR sentido Londrina, passamos por Presidente Prudente em SP e pernoitamos num hotel na beira da estrada já no Mato Grosso do Sul, muito simples mas limpo. Logo cedo acordamos e seguimos para o termino da viagem. Por volta de meio dia já estávamos em Bonito.
Hospedagem: Ficamos na pousada Di Luna http://www.pousadadiluna.com.br/ é uma pousada distante cerca de 2 km do centro da cidade, mas vale a pena, o local é lindo e totalmente integrado com a natureza. São chalés e os donos da pousada são muito simpáticos, o café da manhã é delicioso com produtos colonais, alguns feitos na própria pousada, tem piscina e é possível ver diversos pássaros como Tucanos e Araras da janela de seu quarto. Gostamos tanto que nossa cadelinha se chama Luna em homenagem a nossa estadia em Bonito.
Restaurantes: Infelizmente não recordo o nome de nenhum restaurante na cidade, mas você não pode perder o sorvete assado, é uma delicia. Para quem gosta de pratos exóticos na região os restaurantes oferecem carne de Jacaré, Rã, Tartaruga, etc. Em Bonito comemos Jacaré, mas eu não gostei. Depois voltamos a comer no Pantanal e gostei bem mais, segundo um especialista a diferença entre as carnes que comi é que a de Bonito era de caça, enquanto a do Pantanal era de criação.
Agência de turismo: Contratamos todos os passeios com antecedência com a Agência AR http://www.agenciaarbonito.com.br/ fizemos todos os contatos por e-mail, as vezes por telefone e sempre fomos prontamente atendidos e recebemos dicas de como elaborar melhor nosso roteiro. Quando chegamos a cidade estava tudo certo, um passeio precisou ser remarcado devido a chuva e outro cancelado, mas a agência nos explicou tudo e não tivemos problema. Nos passeios geralmente o transporte não está incluso, então se você não vai de carro é importante se informar dos valores antes, pelo que percebemos para contratar lá é meio salgado o preço, verifique antes e veja se não é mais barato locar um carro. 

Há grande diversidade de animais na região

Logo que chegamos em Bonito fomos direto a agência, não programamos nenhum passeio para este dia, preferimos deixar para descansar da viagem e conhecer a cidade. Acertado os últimos detalhes na agência partimos para o hotel. Após o descanso, uma volta pela cidade.
É uma cidade muito pequena, tem uma rua principal que reúne a maioria das lojas de artesanato, restaurantes, alguns hotéis. Pode-se fazer tudo a pé, numa caminhada agradável. Os locais onde são feitos os passeios são distantes do centro, então durante o dia a rua é quase vazia, mas a noite esta rua é lotada de turistas.
 

Rua principal de Bonito

Dia 2
No segundo dia pela manhã fomos ao Balneário do Sol, localizado às margens do Rio Formoso, tivemos a possibilidade de nadar nas piscinas e próprio rio, entre as piraputangas, curimbas e dourados, o local ainda tem lindas cachoeiras.
 

Piscina natural

 Balneário do Sol

A tarde, seguimos para o local de embarque do Bote do Rio Formoso. Um passeio em botes de borracha com capacidade para até 14 pessoas, num percurso de 8 km, até a Ilha do Padre, ultrapassando-se por três cachoeiras e duas corredeiras. Nas margens do rio podemos avistar macacos e pássaros. Foi um passeio muito legal, estava chovendo e em alguns trechos a chuva era muito intensa, o que deixou o passeio mais emocionante, como já havíamos feito rafting antes, achamos a parte das corredeiras bem tranquilo, é um passeio mais de admiração.
 

Bote

Uma das pequenas quedas

Dia 3
No dia seguinte seguimos rumo ao Rio Sucuri, que tem uma das três águas mais transparentes do mundo. Começamos o passeio na sede da fazenda onde nos preparamos e vestimos as roupas de neoprene, pegamos um caminhãozinho e seguimos em direção a trilha. O roteiro das águas começou pela visita na nascente do rio, onde a água é tão cristalina que muitas vezes é difícil acreditar que ali realmente tem água.
 

Nascente do Rio Sucuri

Não parece que este peixe está fora d'água?

Nós conhecemos os três rios que oferecem flutuação em Bonito, e os três tem característcas totalmente diferentes. O rio Sucuri tem uma vegetação muita rica, em certos momentos você tem a sensação que está sobrevoando uma floresta. É lindo, na minha opinião o mais bonito dos três. Nossa programação incluía almoço na fazenda e uma cavalgada na parte da tarde, mas devido a um forte temporal que caiu na região, ficamos apenas descansando na rede, o que após um almoço maravilhoso não foi nada difícil.

A noite era uma das mais esperadas, conhecemos o projeto Jibóia, eu tenho muito medo de cobras, mas coloquei na nossa agenda como um desafio. Fomos os primeiros a chegar para a apresentação e ganhamos senhas, a apresentação começou e realmente não conseguia me concentrar no que o instrutor estava dizendo, apenas na cobra que estava enrolada no pescoço dele. Conforme o tempo passa você vai se acostumando com a situação. De forma geral, achei muito interessante, principalmente se você tem medo. No fim da apresentação você pode bater fotos com a cobra, eu estava decida a não fazer isso, mas resolvi tentar (na foto abaixo dá para perceber que estava um pouco nervosa). Mais informações sobre o projeto estão no site http://www.projetojiboia.com.br/
 

E você, tem coragem?

Dia 4
O interessante de Bonito é que você pode ir adaptando seu roteiro conforme a sua necessidade ou mudanças climáticas, devido a chuva nosso passeio do dia seguinte que seria na Ceita Core foi transferido e neste dia conhecemos a Gruta do lago Azul e o Aquário Natural de Bonito.
A Gruta do Lago Azul é mundialmente conhecida como um monumento natural, cujo interior é formado por estalactites, estagmites e um imenso lago de água azul. Ou não seria azul? Na verdade é apenas uma ilusão de ótica criada por vários fatores, a beleza do lago é impressionante. Após um leve caminhada você já começa a ver o lago, é um lugar com uma energia muito especial. Não dá vontade de sair dali,e ficar apenas ficar observando aquela maravilha.
 
Gruta do lago azul

Nossa programação para a tarde era a Flutuação no Aquário Natural de Bonito, nesta flutuação podemos avistar uma maior concentração de peixes na água, as espécies não são tão diversificadas, mas a quantidade de peixes é maior que nas demais flutuações. Neste dia conseguimos ver até uma traíra, que deixou até o guia espantado, pois não é comum avistar este peixe nas águas do aquário natural.

Piraputanga

Traíra no Aquário Natural
 
Dia 5
Com o tempo melhor, passamos todo o dia na Fazenda Ceita Corê, uma das mais belas e confortáveis sedes de fazenda da região, construída em aroeira, peroba e bálsamo, é cercada de lagos cristalinos que se originam na nascente do Rio Chapena a 350m da sede. Tem uma piscina linda de água corrente junto a varanda, e um almoço típico que eu nunca vi igual, delicioso. O lugar ainda conta com diversas cachoeiras que você conhece caminhando em passarelas e com a ajuda de um guia. Em algumas você pode parar para um refrescante banho.

Sede da Fazenda

Cachoeiras

Tome cuidado com a cachoeira do cofrinho, como o nome sugere, ela pode deixar seu cofrinho a mostra devido a força de sua águas. Ela possui uma passarela embaixo, então você pode ficar em pé abaixo dela, e se não cuidar de suas roupas, elas se vão.

Cachoeira do Cofrinho


Fomos também na fonte da juventude, é a nascente do rio, mas não tivemos coragem de nos banhar devido a temperatura da água, muito fria. Ela tem uma caverna subterranea alagada que ainda não se sabe qual a profundidade, visto que em diversas expedições nunca o fundo foi encontrado.

 
Nascente do rio - fonte da juventude

Na saída da fazenda, lindas paisagens e uma diversidade animal muito grande.
 
Tamanduá Bandeira
Boiada na estrada


Pôr do sol
 
 
Dia 6

A primeira parada do dia foi no Buraco das Araras, uma caminhada suave para todas as idades, com atrativos naturais que mexem com todos os nossos sentidos. O local tem grande beleza e fascínio. O passeio durou aproximadamente 1 hora, e pudemos observar o grande buraco rodeado de mata e com centenas de pássaros. Muitas vezes um grande coral parecia nos brindar com o cantar das Araras. Além de diversos outros pássaros que vivem na região. Um bom passeio para se fazer no início da manhã.
 
 
Buraco das Araras

Araras descansando no topo das arvores
 
Nossa ultima flutuação foi no Rio da Prata, este é o rio com maior diversidade de peixes, aqui podemos ver Piraputangas, Dorados, Curimbás, Pintados, Pacus, Piaus, Matogrossinhos, entre outros. A Sede do local é muito bonita e aconchegante. O local foi eleito a melhor atração turística do Brasil nos anos de 2008 e 2009 pelo guia 4 rodas.


Coruja na entrada do Rio da Prata


Jabuti
 
Fomos levados até o inicio de uma trilha, onde pudemos observar a mata local e alguns animais até chegar a uma piscina natural para ter o treinamento inicial, como já era nossa terceira flutuação já estávamos craques. A flutuação dura cerca de 4 horas e percorre 2km, mas é bem leve pois você não precisa nadar, na maioria do percurso o próprio rio leva você suavemente.
 

Trilha 

Dourado


Após a adaptação se inicia a flutuação pelo rio, tivemos a "sorte" de durante o passeio ver um Jacaré no rio, confesso que nesse momento deu um pouco de medo, mas segundo o guia eles não costumam atacar (ainda bem).
 
Jacaré no Rio da Prata

Seguindo o Fluxo

PANTANAL
Bonito já faz parte do Pantanal, porém tem caracteristicas um pouco diferentes, essa parte da viagem foi bem mais rústica. Eu queria conhecer também a parte alagada da região. O Pantanal era um dos pontos altos da viagem, há algum tempo eu esperava conhecê-lo. O Vitor teve a oportunidade um pouco antes de mim quando foi até lá para pescar, então já conhecia alguma coisa.

 Corixo São Domingos

Conhecendo um pouco mais o Pantanal:
O território que compreende o Pantanal Mato-Grossense é considerado a maior planície de inundação do planeta, englobando o sudoeste do Mato Grosso, o oeste do Mato Grosso do Sul, e parte da Bolívia. É uma região com alto índice pluviométrico (quantidade de chuvas). e periódicos alagamentos ocasionados pelo transbordamento de inúmeros córregos e lagos. Nesse ecosistema também é possível observar a caracterização da vegetação do cerrado.
É considerado um dos mais extraordinários patrimônios naturais do Brasil, possui uma biodiversidade faunística apenas superada pela Amazônia, porém apresentando maior número de indivíduos por espécie. (Fonte: Brasil Escola)
 
 Atrás das piranhas

Para chegar : Saímos de Bonito em direção a cidade de Miranda, pegamos a MS-178, cerca de 141km de distância.
Hospedagem: Ficamos na Fazenda San Francisco, é uma fazenda que tem cabeças de gado, plantações e dedica parte de seu espaço para receber o turismo. Acredito que na região seja a que possui a melhor infra-estrutura para receber o turista. http://www.fazendasanfrancisco.tur.br/ 
Também recomendo a Cacimba de Pedra http://www.cacimbadepedra.com.br/ mas verifique antes pois no site consta que a fazenda não está mais aberta ao turismo (uma pena).
Restaurantes: Recomendo almoçar nos restaurantes das fazendas, o almoço é típico e delicioso.
Agência de turismo: Reservamos uma diária na Fazenda San Francisco com a Agência AR http://www.agenciaarbonito.com.br/
Saindo de Pantanal: Na volta para casa passamos por Campo Grande, uma passagem rápida e dormimos numa cidade um pouco mais a frente.  
 
 
Na fazenda também há um projeto para a recuperação de Araras que estavam em cativeiro, uma reabilitação antes de devolvê-las a natureza. É emocionante estar tão perto de um animal lindo como esse.

 

Após um almoço espetacular, fizemos nosso primeiro passeio na fazenda que foi até o Corixo São Domingos, lá pegamos um barco e seguimos para pescar Piranha. Não tivemos sorte, mas valeu o passeio. O lugar é lindo, tivemos a oportunidade de ver diversos Jacarés, lontras, cobras..
 
 Pesca da piranha no Corixo
Na água tem muito mais que piranhas
Cobra na parada do barco

Após o passeio retornamos para o hotel, pois a noite tinha mais. Um safári noturno para
observar os animais e tentar localizar a Onça Pintada. Nós a vimos apenas de muito longe, os olhos brilhantes no meio da escuridão mas amigos tiveram mais sorte e conseguiram ver ela em outras oportunidades. Não temos fotos do safári noturno pois não é permitido fotografar para não assustar os animais.
 
 

No dia seguinte acordamos cedo, e já fomos para o safári diurno. Conseguimos avistar diversos animais e aves, Cegonhas, Tuiuius, Veados, cobras, capivaras, e vários outros animais. O passeio não foi só de carro, fizemos também uma caminhada numa passarela elevada da mata.
 

Depois do passeio, encerrou nossa diária e seguimos rumo a Fazenda Cacimba de Pedra pois queríamos conhecer a criação de Jacarés. Chegamos de surpresa, mas mesmo assim fomos muito bem atendidos, almoçamos e contratamos um day-use na fazenda. A caminhada começou conhecendo um pouco das lendas da região.
 
 
 
Fomos também até o galpão onde ficam os filhotes de Jacaré. Na fazenda são criados jacarés especialmente para o consumo da carne e couro. Eles tem todo um controle de temperatura, umidade, iluminação para que o jacaré tenha a carne mais macia e o couro com a melhor qualidade possível.
 
 
 
Tivemos a oportunidade inclusive de pegar alguns jacarés, para bater fotos.
 
 

Conhecemos o lago onde ficam as matrizes reprodutoras, esses sim são bem grandes, tivemos a oportunidade de alimentá-los e ficar bem próximo a eles.
 


Essa foi nossa viagem por este paraíso brasileiro, uma coisa que achamos curioso é que encontramos muito mais estrangeiros do que brasileiros conhecendo este pedaço do Brasil. Recomendamos muito a viagem para Bonito e Pantanal, seja em casal ou em família é um lugar para descobrir e conhecer mais o seu próprio país. Queremos voltar, especialmente depois de ter filhos, pois saindo de lá ganhamos uma grande bagagem educacional sobre o que é a natureza, e como cuidar dela da melhor forma possível.

Um comentário:

  1. Que máximo! Adoreiiii.. Quero ir para Bonito e Pantanal também! =)
    Mariane S. Pauli

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita em nosso blog.