domingo, 4 de setembro de 2011

Deserto do Atacama - 2011

Deserto do Atacama

Quando pensava em deserto, me vinha na cabeça apenas a imagem de calor e dunas intermináveis de uma areia muito fina, pode ser que tenha visto muito filme ou então faltado em alguma aula que explicava ao certo o que era um deserto, mas o deserto do Atacama me deixou sem palavras e durante um bom período achando que estava sonhando. Claro, é seco, faz calor durante o dia, mas muito menos do que esperava, durante um passeio você vê diversas paisagens: partes totalmente secas de uma terra batida, a cordilheira dos Andes com vulcões ativos e com os cumes cobertos de neve, oásis com plantações, lagoas belíssimas, geisers a mais de 4000m de altura, montanhas, vales com formações intrigantes e muito mais. Ficamos 3 noites e 4 dias nesse lugar mágico.

Como chegar: Nossa primeira parada no Chile foi em Santiago, ficamos uma noite lá e no dia seguinte voamos para a cidade de Calama (próxima a San Pedro do Atacama) fomos com a Sky airline https://www.skyairline.cl/en/index.aspx uma cia aérea local, mas muito mais barato que a Lan Chile. Para comprar fizemos as simulações de preço e horario de vôo no site e entramos em contato por e-mail, passamos nossos dados e a compra foi confirmada. Já no aeroporto fizemos o check-in e deu tudo certo. Os aviões são bons e o serviço de bordo muito melhor que de algumas empresas brasileiras.
Hospedagem: Ficamos nos Hotel Dunas http://www.hoteldunas.cl/index.html pagamos $ 32.000 (pesos chilenos) por dia, isso porque somos brasileiros e ele faz fatura de exportação, pois lá se paga um imposto chamado IVA para o governo, mas que não é cobrado de estrangeiros, tem que ficar atento, pois a maioria dos lugares que consultamos queria nos cobrar este imposto. O lugar é muito agradavel, lá é tudo muito perto, fica a duas quadras da rua principal, as acomodações são limpas e muito bem decoradas, não há tv e nem frigobar (mas pelo que notamos em nenhum deles há), os donos são muito gentis, há uma área privativa atrás dos quartos com uma mesinha, ideal para secar roupas se for preciso...recomendamos este hotel, bom custo x benefício.
Passeios: Contratamos já do Brasil a agência Atacama Connection http://www.atacamaconnection.cl/ pedi os preços dos passeios, depois um desconto e consegui uma redução de usd 50, é bom chorar...Em San Pedro de Atacama existem muitas agências, algumas pessoas preferem contratar os passeios quando chegam lá pois conseguem conhecer as agências antes de fechar o pacote e conseguem também um valor melhor de ultima hora, mas como gostamos de planejar bem nossas viagens, optamos por já ir com tudo certo e não tivemos nenhum problema. Fizemos todos os passeios que havíamos programado e dentro da hora combinada.
Caso queira contratar diretamente com o guia, pode verificar com o Guillermo, que na nossa opinião foi o melhor guia que conhecemos no Atacama. Ele disse que pode ajudar a encontrar hospedagem também. O e-mail dele é guillermojopia@yahoo.com e o tel (55) 82705523.
Restaurantes: Durante nossa estada em SPA comemos em alguns lugares diferentes, mas os que mais recomendamos são:  Pizzeria "el charrua" um lugar muito pequeno e simples, mas com uma pizza deliciosa e barata, comemos a com queijo de cabra, muito especial. E restaurante na praça próximo a Igreja (com guarda-sol da Austral), Café Adobe e Las Delícias de Carmen...lugares especiais e que merecem uma visita.

Restaurante na Praça principal de San Pedro de Atacama

Dia 1
Manhã - Tour Arqueológico
O passeio foi contratado em grupo, mas acho que não haviam mais interessados então levaram somente nós em uma pick-up 4 x 4 com um guia chamado Guilhermo. O guia fez todo o diferencial do passeio, ele é historiador e arqueólogo e sabe muito sobre a região, nos explicou muitos detalhes. Primeiro visitamos a aldeia de Tulor, que está abaixo da areia do deserto e uma pequena parte foi escavada, muito interessante pensar como sobreviviam naquele lugar a mais de 2000 anos atrás, mesmo encoberto é possível ter uma boa idéia de como as coisas funcionavam.
Após fomos ao chamado de Pukara de Quitor, um forte onde o povo atacamenho se protegeu durante a guerra com os espanhóis, é um lugar muito bonito e com uma bela vista de SPA, o ideal é ir com um bom guia como o Guilhermo para que saibam o que realmente aconteceu em cada lugar.

Aldeia de Tulor

Tarde - Vale da Morte e Vale de la Luna
Para estes passeios nossa mordomia de carro "próprio" acabou, fomos em um ônibus.
A primeira parada foi para avistar o Vale de la Luna de um mirante.

Mirante do Vale de la Luna, pedra do coyote

Após fomos para o Vale da Morte, um lugar muito legal, mas com a maior corrente de vento que já vi na vida...Dizem que sempre venta muito por lá, mas que naquele dia em especial estava um pouco pior. O vento era tanto que quase não conseguíamos caminhar novamente em direção ao ônibus, apesar disso vale a pena a parada. Queria ter um pouco mais de tempo para descer o penhasco, parece ser uma passeio ainda mais bonito.

Vale da Morte

Próxima parada Vale de la Luna, a princípio achava que era apenas para ver o pôr do sol neste lugar, mas me enganei, esse é só no fim do passeio, antes fizemos uma caminhada leve de cerca de 1 hora por dentro de um caminho entre paredões de de terra e sal, uma surpresa maior que a outra atrás das curvas, na volta já no fim da tarde com a temperatura despencando dá para ouvir o estralar do sal nas montanhas, de arrepiar...

Vale de la Luna

Por fim, voltamos ao ônibus, mas alguns minutos e chegamos ao lugar onde caminhamos rumo as dunas para ver o pôr do sol, após um dia de passeios foi bem cansativo, mas como era um dos pontos altos da viagem ao atacama seguimos firme. Valeu cada segundo, é um espetáculo lindo, primeiro o sol se pondo atrás das montanhas, parece que está muito mais perto de nós do que em outro lugar, depois o deserto começa a mudar de cor, laranja, rosa as cores vão mudando e dão um show...

Pôr do sol no Vale de la Luna

Dia 2
Manhã - Geiser del Tatio
A van passou no hotel as 04:00 da manhã, muito cedo e muito frio, depois de umas 2 horas andando na escuridão do deserto por ruas ou fora delas chegamos ao local do geisers e a 4320m acima do nível do mar. Aqui vai uma dica muito importante, é frio, um frio insuportável, devem ir muito bem agasalhados, no dia que fomos estava 12 graus negativos e como ficamos mais lentos devido a altitude tudo parece pior. Fiquei tonta e preferi ficar boa parte do tempo me aquecendo dentro da van. Após o espetáculo fomos as piscinas naturais, que claro não tivemos coragem de nos banhar. A agua pode até ser bem quente, mas ficar só de biquine com temperatura negativa não é fácil.

Geiser del Tatio

No retorno do passeio a van passa por muitas alpacas, lhamas e para numa aldeia do povo Machuca que durante a maior parte do tempo tem 6 habitantes. Lá é servido o famoso espetinho de carne de Lhama e chá de coca. Esperimentamos e aprovamos as duas iguarias. No local também tem pastel de queijo de cabra e artesanatos locais.

Aldeia povo Machuca

Após um breve descanso e almoço em SPA partimos para os passeios da tarde, a primeira parada foi na Laguna Cejar  que tem uma concentração de sal maio que o mar morto e não conseguimos afundar. A água é muito fria, mas vale a pena pois é uma experiência única, após sair da água o corpo fica branco de tanto sal, é importante se banhar com água doce logo após, pois o sal pode queimar sua pele se a exposição for muito grande. Geralmente as próprias agências de turismo já levam um galão de água.

Laguna Cejar

Com o fim da tarde chegando fomos para o chamado Salar de Atacama, lá um brinde ao Pôr do sol nos esperava com o famoso Pisco sour. Como não estávamos no verão o salar não estava branquinho como esperávamos, mas sim era uma bela lagoa. Este pôr do sol foi tão bonito quanto o que vimos no Vale de la Luna.

Cores do deserto no salar de atacama

Não contentes em ter acordado as 04:00 da manhã resolvemos fazer mais um passeio no mesmo dia, na verdade a noite, o Passeio das Estrelas. Pegamos o ônibus na Caracoles por volta das 20:00hs e seguimos até um lugar com telescópios grandes onde inicialmente tivemos uma palestra sobre o universo e depois fomos para os telescópios ver estrelas, nebulosas e a Lua. Até esta parte tudo muito interessante, mas depois uma Sra. começou a falar de todas as constelações, o que  cada uma significava, o tempo foi passando, foi ficando cada vez mais frio e cansativo, nesse momento me arrependi de estar lá.

Foto direto do telescópio

Dia 3
Saímos de manhã inicialmente rumo a Laguna Chaxa para ver bem de perto os Flamingos, neste dia eles estavam tímidos, somente uns três se aproximaram de nós, mas mesmo assim são encantadores, o lugar também é lindo, lagos, vulcões, deserto...

Flamingos na Laguna Chaxa

Saindo de lá seguimos rumo a Laguna Miscanti, mas antes passamos por uma pequena cidade, 


E chegamos ao que na minha opinião é o lugar mais bonito do Chile, e o mais bonito que já vi na vida. A Laguna Miscanti é um lugar perfeito, um lindo cartão postal, parte da neve que caiu no inverno ainda estava lá em forma de gelo, o vulcão perfeito atrás e uma lagoa tão azul quanto o céu do Atacama. Tanta beleza me emocionou, se você tiver pouco tempo para conhecer a região, diria que este é o principal destino.

Laguna Miscanti

No caminho de volta paramos no deserto para tirar algumas fotos...


A poucas horas de nossa partida para Santiago, chegando em SPA ainda tivemos uma surpresa, uma tempestade de areia no deserto, confesso que tinha vontade de ver uma tempestade dessas, talvez um desejo meio doido, mas foi muito legal. Estávamos dentro da van e de longe começamos a ver ela se aproximar, no mínimo diferente.

Tempestade de areia


2 comentários:

  1. Oi Débora e Vitor! Adorei o blog de vocês!!! Muito interessante poder saber detalhes das viagens que vocês fizeram, e assim poder obter dicas para quando formos nesses locais também... Parabéns, ficou show! Beijos, Mari e Loiser.

    ResponderExcluir
  2. Debora están bellísimas las fotos! Es hermoso que viajen juntos! Un fuerte abrazo desde Chile!, Susana!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita em nosso blog.