quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Santiago - 2011

Catedral Metropolitana, na Plaza de Armas

A capital do Chile está localizada no vale central, ao lado da  Cordilheira dos Andes. É o maior e mais importante centro urbano, financeiro, cultural e administrativo do país. A arquitetura une prédios novos e antigos de uma maneira muito singular e bonita, tem diversas opções culturais, gastronomicas e de compras. E enquanto estávamos lá, procuramos conhecer um pouco de cada.
Uma informação importante é que no mês de Setembro o país tem nos dias 18 e 19 o feriado pátrio, não chegamos a ver as festividades pois fomos embora no dia 17, mas podemos acompanhar os preparativos. No comércio local são vendidas roupas para as meninas e são muito parecidas com nossas roupas para festa junina, eu não consegui entender muito bem qual o sentido histórico daquelas roupas, mas o detalhe realmente importante é que se você pretende ficar no Chile durante esse feriado tem que se planejar muito bem, o que vimos é que há uma LEI e todos os comércios são obrigados a fechar suas portas durante o feriado, e isso inclui shoppings, supermercados, restaurantes, lojas em geral, você fica sem muitas alternativas.

Entrada do Cerro Santa Lucia
 
Esse seria o grande final de nossa viagem, deixamos a capital e seus arredores para visitar por último e não nos arrependemos. Viajar sempre é maravilhoso, mas geralmente cansa bastante, queremos caminhar para todo lado, praticar esportes que geralmente não praticamos, ficamos horas esperando no aeroporto ou viajando de ônibus e no fim já estamos pedindo programas mais tranquilos. Não que Santiago seja tranquilo, mas pelo menos você já está bem próximo do aeroporto.

Para chegar :  Fomos com a Tam, a opção mais econômica foi comprar a passagem de Curitiba a Santiago, fizemos conexão em Guarulhos e pegamos uma avião da Lan, parceira da TAM, a viagem foi tranquila.
Hospedagem: Ficamos no Ibis de Santiago http://www.ibishotel.com/hotel-directory/pt/america-do-sul/chile/santiago/hotel-santiago.htm  a primeira impressão foi assustadora pois era noite e como o hotel fica próximo a rodoviária tinha muito movimento de ambulantes, mas quando amanheceu as coisas começaram a melhorar e gostamos do local, é um bom custo benefício visto que a hospedagem na capital é um pouco cara, ao lado do Ibis fica a rodoviária e uma estação do metrô, então é fácil circular pela cidade a partir dali.
Restaurantes: Na cidade existem diversas redes como Burger King, Pizza Hut, algumas lanchonetes locais e diversos restaurantes, no mercado municipal há restaurantes de frutos do mar, más vá preparado pois o preço lá é bem salgado. O local que mais gostamos para comer enquanto estivemos na capital foi o bairro Bellavista, especialmente o restaurante Galindo http://galindo.cl/inicio.htm , e o Como Agua para Chocolate http://www.comoaguaparachocolate.cl/ que fica bem próximo na Constitucion, ambos tem um ambiente agradável e excelente comida.
Agência de turismo: Não usamos nenhuma agência de viagem enquanto estivemos em Santiago, apenas ônibus e metrô e fizemos tudo por conta própria.

Da cidade já havíamos ganho uma amostra grátis pois ficamos um dia entre a chegada do Deserto do Atacama e o embarque para Pucón, neste dia conhecemos o metrô (nunca havíamos andado antes) e o elegemos como nosso meio de transporte oficial em Santiago. Nos hotéis geralmente são dados os guias das paradas e explicam como chegar e sair, você também pode pegar mais informações no site
http://www.metrosantiago.cl/estacion, achamos muito simples, seguro e barato. Saímos da Universidad de Chile e nossa primeira parada foi na estação La Moneda, alguns passos e já estávamos na frente do Palácio de la Moneda, mas neste dia o prédio não estava aberto a visitação devido ao falecimento de um senador, e não era dia de troca da guarda, então batemos algumas fotos ali na frente e descemos para conhecer uma galeria que fica abaixo do prédio, lugar interessante com algumas amostras de arte, neste dia estava havendo uma mostra de brinquedos antigos.

Palacio de la Moneda

Continuamos nossa caminhada rumo ao passeo Ahumado, a principal rua do centro de Santiago, no caminho passamos pela rua Augustinas onde há uma concentração grande de casas de câmbio e geralmente com a melhor cotação da cidade. Nesta rua também há um Banco Itaú, caso tenha interesse em sacar o dinheiro direto no Chile, há outros bancos também, mas não me recordo quais são. Já no passeo Ahumado vimos uma manifestação de estudantes (fomos bem na época em que os estudantes estavam protestando contra o governo), essa foi uma manifestação pacífica, então esperamos eles passar e continuamos nosso passeio.

Manifestação no Passeo Ahumado
Esta rua tem as principais lojas de departamento de Santiago: Paris, Ripley, La Polar, Falabella e Jonshons. Essas mesmas lojas tem em todos os shoppings, mas o preço tem uma pequena diferença dependendo de onde você escolhe comprar. No passeo Ahumado e no shopping que havia próximo do hotel os preços eram sempre melhores do que os que vimos no shopping Parque Arauco.

Catedral Metropolitana

Nossa próxima parada foi a Plaza de Armas, lá está a Catedral Metropolitana, que não conseguimos visitar no primeiro dia devido ainda a morte do senador, mas que retornamos alguns dias depois e visitamos, eu nunca vi uma igreja tão grande e bonita, tem várias capelas menores dentro da igreja e cada uma com uma decoração mais bonita que a outra, vale a pena uma visita mesmo para quem não gosta de visitar igrejas. Ainda na praça visitamos um Museu de história do Chile que fica ao lado da prefeitura.

Uma das capelas da Catedral Metropolitana

O Objetivo principal do dia era almoçar no famoso Mercado Municipal de Santiago, e quando lá chegamos a primeira impressão não foi das melhores, pois além da fama continua sendo um mercado de peixes com todas as caracteristicas de um, inclusive o mal cheiro. Começamos a passear e a procurar um restaurante, todos nos abordavam, queriam explicar seus pratos e nos convencer de que eram o melhor restaurante lá. Queríamos experimentar a Centollha (Carangueijo gigante) após bater muita perna escolhemos um restaurante onde o preço era o mais convidativo, mas mesmo assim muito caro, como a curiosidade matou o gato, pagamos para ver e não gostamos muito.

Frente do Mercado Municipal, o restaurante que escolhemos fica logo na entrada a esquerda

Após o almoço andamos um pouco pelas imediações do Mercado Municipal e meu marido optou por experimentar um cachorro quente com palta (abacate), no Chile vai palta em tudo, cachorro quente, lanches, pratos, ele gostou, mas eu não gostei.
Outro ponto turístico que conhecemos neste mesmo dia, foi o Cerro Santa Lúcia, da onde estávamos, no mercado municipal levamos cerca de 15 minutos a pé até lá. Este é um pequeno morro no centro de Santiago, subimos alguns degraus de uma parque e quando vimos estávamos no meio de umas construções de pedra, com a vista da cidade ao fundo, boa caminhada.


Cerro Santa Lucia

Nosso ônibus para Pucón iria sair da rodoviária só as 23:30hs e nossas malas estavam guardadas no hotel ao lado da rodoviária, então tinhamos tempo para conhecer um pouco mais a cidade, pegamos novamente o metrô e seguimos rumo ao Shopping Parque Arauco, mesmo a estação mais próxima fica longe do shopping, assim quando chegamos pegamos um taxi. O shopping é o maior e mais bonito da cidade, lá estão as principais marcas nacionais e internacionais, além de uma excelente praça de alimentação coberta e mais uma área com restaurantes e bares.

Quando retornamos a cidade depois de conhecer do sul do país caminhamos novamente no centro pois precisávamos trocar dinheiro nas casas de câmbio, aproveitamos para ver a troca da guarda no Palacio de la Moneda (achei meio sem graça).

Troca da Guarda

Seguimos rumo ao bairro Bellavista pois queríamos conhecer a gastronomia local e o Cerro San Cristóbal. Fomos caminhando de centro até lá, mas recomendo pegar um taxi. No caminho passamos pelo belo Museo de Bellas Artes,  como já estava na hora do almoço optamos por almoçar no restaurante Galindo que nos foi recomendado por uma amiga de Santiago mesmo, e valeu cada centavo, comemos uma parrillada, espécie de churrasco Chileno, estava excelente.

Parrillada no Galindo

Após o almoço, conhecemos o bairro e subimos o Cerro San Cristóbal que fica no parque metropolitano, para chegar até o topo do morro há um funicular, paramos no meio do caminho para conhecer o zoológico e depois seguimos até o topo de funicular novamente.

Zoo de Santiago

Funicular

No cume está o Santuario Inmaculada Concepción, onde fica a Estatua de La Virgem, de 36m e erguida em 1908, lá ocorrem missas e eventos religiosos. De onde descemos do funicular, até a imagem, tivemos que subir alguns degraus, a vista lá de cima é muito bonita, mas há muita poluição em Santiago também, e de lá temos noção disto pois se vê a nuvem de fumaça que cobre a cidade.

Estatua de La Virgem

Voltamos ao bairro na hora do jantar e desta vez experimentamos a comida do restaurante Como água para chocolate (faça reserva com antecedência, este restaurante é muito procurando) a comida e o ambiente são maravilhosos, fechamos o dia com chave de ouro.

Prato do restaurante Como Agua para Chocolate

O ultimo dia da nossa viagem estava reservado a bater perna pelos principais pontos de compra da cidade, busca de lembrancinhas, compra de algumas roupas de inverno no fim da liquidação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita em nosso blog.