domingo, 2 de setembro de 2012

Lima - 2012


Miraflores

Lima foi a nossa porta de entrada para conhecer o país, decidimos iniciar pela capital e depois seguir ao sul de ônibus parando nas principais cidades ou pontos turísticos. Lima nos surpreendeu bastante, é a capital, a maior e mais importante cidade do Peru, uma das 30 maiores áreas metropolitanas do mundo e situa-se na costa central do país as margens do Pacífico. A cidade foi fundada em 18 de janeiro de 1535 e chamou-se Cidade dos Reis, foi a capital do Vice-Reino durante o regime espanhol e depois da independência do país, tornou-se a capital. Hoje Lima é considerada também a capital gastrônomica da América Latina e este é um título mais que merecido, sua comida é fantástica, desde um simples sanduíche até o restaurante mais refinado os sabores surpreendem os turistas. O povo é bastante reservado se os compararmos aos brasileiros, mas tratam muito bem os turistas e se vê muito claramente que se esforçam para que gostemos de cada atração, passeio ou hotel. O turismo vem crescendo muito no país, especialmente com Europeus (maioria da França) e Norte Americanos. Os Brasileiros agora que começam a se tornar um número mais expressivo segundo os guias que estiveram conosco, com nossa economia mais forte, começamos a viajar mais e a desbravar os países que estão mais próximos.

Santa Rosa de Lima

Tivemos dois dias para conhecer a capital, andamos bastante e tentamos aproveitar ao máximo o tempo. Adoramos a capital e em especial Miraflores, é um lugar aconchegante, com lindas praças, igrejas, construções, excelente comida e localizada as margens do Oceano Pacífico. É um lugar tranquilo para caminhar tanto durante o dia quanto a noite, o policiamento é intenso. Mas mesmo estando lá é preciso se acostumar ao que eu chamo do som típico do Peru, ou seja, as businas dos automovéis, eu nunca vi um povo gostar tanto de busina, eles buzinam por qualquer motivo e no fim você vai se acostumando com o trânsito e com essa pequena loucura. Se você pensa em conhecer a India, as cidades do interior do Peru podem até ser um treinamento, o trânsito se parece bastante com o que vimos em documentários e filmes daquele país, faltam apenas os elefantes.
DICA IMPORTANTE: Os táxis no Peru não tem taxímetro, então antes de entrar diga qual é o seu destino e pergunte quanto custará a corrida até lá, se achar o valor alto negocie ou tente o próximo.

Vista de umas das principais avenidas de Lima

Para chegar :  Fomos com a Lan, compramos a passagem diretamente pelo site da Lan e não com a Tam. Assim ficou muito mais barato, na mesma compra incluímos o trecho Cusco x Lima. O voo de SP a Lima durou 5 horas. http://www.lan.com/pt_br/sitio_personas/index.html
Hospedagem: Ficamos no Flying Dog Hostel, ele é muito bem localizado, tem três endereços em Miraflores, escolhemos o Hostel da Martir Olaya, bem na esquina principal, limpo, silencioso e confortável. Escolhemos o double matrimonial premium no valor de USD 35,00 para o casal e vista para a praça, TV, banheiro privativo e café da manhã (o café é servido nos restaurantes da praça, muito charmoso) http://flyingdogperu.com/
Restaurantes: Estando na capital gastronômica da América Latina opções são o que não faltam em Lima. Comemos muito bem durante os dois dias que estivemos lá. Os restaurantes que vamos listar abaixo são os que tivemos a oportunidade de experimentar.
LA LUCHA SANGUCHERIA CRIOLLA - é uma rede de sanduiches Peruana, tinha uma embaixo do nosso hostel, quando chegamos na cidade perto da 1 da manhã tinha fila em frente da sanduicheria. Conseguimos experimentar no dia seguinte, tem uma série de sanduíches com ingredientes locais selecionados e sucos. É um sucesso tanto entre turistas quanto entre os moradores locais. https://www.facebook.com/laluchasangucheriacriolla
RESTAURANT HUACA PUCLLANA - O restaurante fica dentro das ruínas de Huaca Pucllana, se a comida não fosse boa, valeria a pena só pelo ambiente, é lindo jantar e ter a oportunidade de ver as ruínas iluminadas, mas para completar a comida é deliciosa, desde as entradas até a sobremesa. Foi recomendado a mim por um colega de trabalho que mora em Lima, e amamos estar lá. Não deixe de conhecer. http://www.resthuacapucllana.com/

Restaurat Huaca Pucclana

PORTOFINO Restaurant - É um dos restaurantes que ficam no shopping Larcomar a beira do pacífico, o shopping tem uma praça de alimentação com redes como BK, Pizza Hut, e outras marcas locais. Mas tem vários restaurantes com pratos locais e internacionais com varandas e lindas vistas do mar. Escolhemos o Portofino, comemos um Ceviche. http://www.restauranteportofino.com.pe/
ASTRID Y GASTÓN - Um dos 50 melhores restaurantes do mundo, uma experiência única de sabor, o nome dos pratos conta uma história, as vezes é preciso solicitar ajuda dos garçons, para ter uma idéia o meu prato se chamava "Un pez de altura que parece mantequilla", mas os sabores, o que falar deles, vale cada centavo gasto, um experiência única. Recomendamos também a entrada de Três Ceviches e as sobremesas, cada prato parece uma obra de arte. Não esqueça de fazer reserva, em plena segunda feira estava lotado. Imperdível. http://www.astridygaston.com/web/index.php
Agência de turismo: Não usamos nenhuma agência de viagem enquanto estivemos em Lima, apenas táxi e o ônibus Mirabus. http://www.mirabusperu.com/tours.html

Entrada de três ceviches do Astrid Y Gastón
 
Nosso passeio em Lima iniciou após a contratação da Mirabus de um tour até as ruínas de Pachacamac, contratamos no parque central de Miraflores e o passeio saiu as 10hs da manhã com um custo de S/. 60,00 por pessoa. Pachacamac segundo muitos arqueológicos e historiadores foi um  santuário considerado como a igreja mais importante da costa do Perú, foi um grande centro de peregrinação onde homens de quase todas as regiões frequentavam também para levar suas oferendas e consultar o oráculo para saber sobre o futuro. É um lugar muito grande, com templos (podemos destacar o Templo do Sol), palácios, cemitérios, inclusive alguns ossos podem ser vistos a olho nú. Um lugar muito bonito que tem vista para o oceano pacífico e para duas pequenas ilhas. O local foi utilizado também para a realização de sacrifícios humanos, especialmente de crianças e mulheres virgens, como em vários outros lugares no país esta era uma prática tradicional para agradar aos Deuses. O passeio demora cerca de 3 horas, passa por alguns locais turísticos e segue beirando o litoral pacífico, mas proteja-se contra o vento se você for na parte superior do veículo, venta muito, lembre de levar uma jaqueta.
 
Templo do sol
 
Santuário de Pachacamac

Chegamos do passeio a Pachacamac e comemos um sanduíche do La Lucha para seguir para o nosso segundo passeio do dia, este foi um city tour em Lima e uma visita o museu Larco também com a Mirabus ao custo de S/. 70,00 por pessoa. Diferente do passeio a Pachacamac esse nós não recomendamos, o city tour é muito superficial, o ônibus não para nos pontos turísticos e em alguns deles achamos que passou rápido demais, estava tendo uma festa na praça de armas e não tivemos a oportunidade nem de fotografar. Depois o ônibus seguiu para o famoso museo Larco (http://www.museolarco.org/), que é um dos mais importantes de Lima e possui um acervo de mais de 45 mil peças, a maioria mochicas, antigos habitantes da costa norte do Peru. Mas contempla também dezenas de civilizações que viveram no território Peruano como Vírus, Chimus, Nazcas, Incas, entre outros. São objetos de cerâmica, jóias, artefatos têxteis, armas, vestimentas e utensílios de uso diário. Entre os destaques do museu está uma curiosa coleção de arte erótica que são datadas entre os séculos 1 a 9. Todo o acervo é muito bonito, mas a guia ficou muito tempo no local explicando cada peça, nós adoramos o museu mas não tivemos paciência para acompanhá-la, seguimos a visita por conta própria e depois ficamos aguardando junto com outras pessoas do grupo. Mas não deixe de visitar este museu, nossa dica é ir de taxi por conta própria pois você terá autonomia para conhecer o museu, todas as peças tem sua história e você pode conhecer as que mais lhe chamar a atenção.



 
Na volta passamos pela praça do amor, beirando o litoral para apreciar o pôr do sol no oceano pacífico, esse é um daqueles momentos que fica registrado na memória, muito bonito. O ônibus passou nos principais pontos de Miraflores e nesse momento valeu a pena. Se você estiver em Lima, não perca o pôr do sol em frente ao mar.
 
Praça do amor
 
Pôr do Sol em Miraflores
 
A noite estava reservada para conhecer o parque dos chafarizes, não tínhamos muita noção do que esperar desse parque, pegamos um taxi e seguimos por uns 15 minutos pois ele localiza-se próximo ao centro. O parque é maravilhoso, um espetáculo de água e luzes, existem diversos chafarizes com formatos, cores e sons diferentes. Em alguns você pode entrar neles, outros só admira a beleza. O parque é bastante grande, ficamos quase duas horas caminhando por ele. É um local bastante seguro e frequentado não só por turistas, mas principalmente por famílias e casais peruanos. O Estádio Nacional do Peru fica atrás do parque e durante a noite a iluminação é muito bonita.
 
Show de luzes
 
Chafariz em forma de túnel
 
 Estádio Nacional do Peru
 
Para terminar nosso primeiro dia em Lima fomos jantar no restaurante recomendado por um colega de trabalho que mora em Lima. O restaurante se chama Huaca Pucclana e fica junto as ruínas em Miraflores, assim durante o jantar tivemos como cenário ruínas milenares iluminadas.
 

Ruínas de Huaca Pucclana
 
Vista do restaurante e das ruínas
 
No dia seguinte após a decepção do nosso city tour, decidimos conhecer o centro histórico de Lima por conta própria, aliás sempre fizemos assim nas outras viagens e recomendamos. Pegamos um táxi até a praça de armas e a usamos como base. Nesta praça aconteceu a fundação da cidade de Lima e hoje este é o principal espaço público da cidade. Ao seu redor se encontram os edifícios do Palácio do Governo, a Catedral, o Palácio Arquiepiscopal, o Palácio Municipal e o Clube da União.
 
 
 
Devido a diversos terremotos, especialmente o de 1940 a maioria dos prédios da praça não são construções originais da época colonial, mas sim reconstruções relativamente recentes em estilo neocoloniais. Uma das maiores surpresas da viagem foi conhecer o mosteiro de San Domingo, ele fica bem próximo a praça de armas e entramos nele até meio sem querer. A igreja é muito bonita e curiosa, nela estão espostas caveiras no altar, uma delas é da Santa Rosa de Lima, umas das principais santas peruanas. Resolvemos então fazer uma visita guiada pelo mosteiro, o local é lindo, tem uma arquitetura ímpar, e é um dos mais preservados prédios que vimos durante toda a viagem. Ele está em constante restauração devido a alta umidade do local. O prédio abrigou a primeira universidade da América do Sul em 1551, e dentro de suas instalações está o altar de San Martín de Porres, o primeiro santo católico negro, seus ossos estão enterrados sob o altar. O guia foi muito atencioso e nos explicou muito sobre a conquista espanhola no Peru, foi uma verdadeira aula. Descobrimos inclusive a influência Arabe sob os espanholes e como isso modificou seus prédios e suas construções, os traços estão por toda parte.
 
Altar com o crânio de Santa Rosa de Lima
 
Imagem de San Martín de Porres
 
A visita termina com a subida na torre da igreja, de lá pode-se ter uma vista panorâmica do centro de Lima, eu fiquei com um pouco de vertigem e parei no meio do caminho na torre dos sinos, mas meu marido foi até o fim.
 
Vista panorâmica do centro histórico de Lima
 
Sino
 
Interior do mosteiro com a torre ao fundo
 
Depois seguimos para a Igreja San Francisco, que diferente da San Domingo não pode ser fotografada. Gostamos mais da primeira igreja que visitamos, mas mesmo assim San Francisco tem suas particularidades e seus encantos, no refeitório há uma série de 15 pinturas, além de um grande painel da última ceia. O coro do convento tem um enorme cadeiral ricamente entalhado, com 130 assentos e relevos de 71 santos, e a biblioteca tem iluminação natural e cerca de 25  mil volumes incluindo muitas obras raras. Mas o mais curioso e que chama os turistas para o local são as catacumbas, uma rede subterrânea interligada que era usada como cemitério no período colonial, onde os religiosos e os pobres eram enterrados. Acreditava-se que ao serem  enterrados sob a igreja, chegariam mais rápido ao céu. A estimativa é que cerca de 25 mil ossadas estejam no local. O passeio é curioso e sinistro, mas com certeza é uma oportunidade quase única de conhecer um local desses.
 
Igreja San Francisco
 
Ossos de uma das catacumbas
 
Para o almoço escolhemos um restaurante com vista para o mar, fomos até o famoso shopping Larcomar em Miraflores e escolhemos o Portofino. O local tem uma grande oferta de restaurantes, mas o que nos chamou a atenção foi o atendimento do garçom assim que começamos a olhar o cardápio. O almoço estava uma delícia, e a vista é maravilhosa.
 
Vista do restaurante
 
Shopping Larcomar
 
A tarde caminhamos por Miraflores, conhecemos um dos vários cassinos da cidade e voltamos para o Hostel para nos preparar para jantar num dos 50 melhores restaurantes do mundo, o Astrid y Gastón.
Como era bem próximo ao hostel fomos caminhando, o restaurante é bem discreto na parte de fora, se não prestar atenção ele pode passar despercebido. Por dentro o ambiente é refinado, o restaurante é dividido por ambientes, nós ficamos na parte da adega, muito charmoso. O atendimento é show, e os pratos são quase uma obra de arte. O título é merecido, nosso jantar foi delicioso, adoramos.
 
 
 
 
Depois do jantar dos Deuses, voltamos para o Hostel porque o próximo dia começaria cedinho, as 03:40hs saia o ônibus rumo a Paracas. Na próxima publicação colocaremos os detalhes de nossa visita a Paracas, Ica e Nazca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita em nosso blog.